sábado, 10 de maio de 2014

A Repressão ao Movimento Estudantil Em Fortaleza

Foto: Sérgio Farias (retirada do Facebook)

Começo a reflexão de hoje com uma fala contundente da companheira dos movimentos sociais Lídia Rodrigues: “Um Estado que autoriza e ordena a polícia jogar bombas de gás e spray de pimenta em crianças e adolescentes estudantes em manifesto pelo direito de ir e vir rompe com qualquer perspectiva de civilidade e democracia”.

No último dia 09 de maio estudantes de Fortaleza caminharam pelas ruas do centro até o Paço Municipal para reivindicar pelos seus direitos estudantis. Acompanhei todo o trajeto da caminhada até o Paço, que se seguiu tranquilamente. Ao lado da Catedral uma barricada da polícia foi montada para não permitir o acesso dos estudantes a Prefeitura. Poucos minutos depois disparos, bombas de gás e balas de borracha foram vistos. Os estudantes correram apavorados pelas ruas. Como relatou um dos manifestantes, “não deu tempo nem montar o som”. O que presenciamos depois foram correrias pelas ruas com a polícia perseguindo estudantes como se estivessem em um festival de caça a animais.

O que a mídia falou depois, principalmente pelos canais de comunicação ligados a Rede Globo, como Diário do Nordeste, foi que os estudantes foram ao centro para badernar. Divulgaram imagens que confundirão a compreensão das pessoas e criminalizará o movimento estudantil. Imagens que não condizem com a realidade dos fatos. Tentará tirar o foco da luta, por isso é sempre necessário relembrar porque estão lutando.

A Prefeitura de Fortaleza cancelou no último dia 01/05 milhares de carteirinhas de estudantes. Reprimiu violentamente manifestações do dia 07/05. No dia 09 novamente os estudantes voltaram a manifesta-se, e foram novamente violentamente reprimidas. Nesse meio termo a Prefeitura voltou atrás e liberou as carteirinhas. Se podia adiar, porque não fez isso antes? Apenas para gerar lucros a empresários e prejudicar milhares de estudantes? E porque o uso da força policial desmedida contra adolescentes? E o que falar do uso de armas letais na manifestação?

Aos estudantes que continuem com a sua luta, cada vez mais organizada e focada nas metas que desejam alcançar. Nesse exato momento é preciso colocar em pauta e encontrar soluções finais para o problema das carteirinhas. Vocês estão lutando por aquilo que é direito de vocês e precisam se orgulhar disso. Busquem cada vez mais formação e conhecimento, para exercerem uma resistência e um diálogo firme.

Aos fortalezenses adultos, saibam que os seus filhos ontem foram perseguidos como animais pelas ruas do Centro, como se fossem criminosos de alta periculosidade. Mas, eles estavam apenas reivindicando os seus direitos. Antes de se colocarem ao lado da mídia, escutem todo o contexto dessa história. Os direitos de seus filhos, como os seus próprios, tem sido desrespeitados a cada dia. Dias atrás escrevi que os oprimidos quando se levantassem para lutar seriam reprimidos brutalmente pelo opressor. O que vimos ontem foi apenas a constatação desses fatos.


Ao Estado do Ceará, ao invés de criminalizar as juventudes, que procure dar uma resposta aos pedidos desses adolescentes. Mas, a resposta tem que ser baseada no diálogo e no compromisso com eles, não na prática covarde e violenta do uso da força militar. Lembro-lhes que ainda vivemos em um país que prega a democracia. É necessário que o estado venha a público desculpar-se por seus atos criminosos contra crianças e adolescentes.

 Fotos: Lídia Rodrigues (Retida do Facebook)

Nesse vídeo policiais em uso de armas letais em plena manifestação. Tiros são escutados. Um crime contra adolescentes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como Lutar Pela Democracia?

Nos dias que antecederiam o afastamento da Presidenta Dilma Roussef de suas funções no Governo Federal, recordo que fomos até a Avenida...